CTB celebra aniversário de Salvador, cobrando uma cidade menos desigual

Geral - CTB Regional Metropolitana - Postada 28 de Março de 2014

Com banda de música, bolo e um debate público, os trabalhadores anteciparam a festa de 465 anos de Salvador para esta sexta-feira (28/3). O aniversário da cidade é amanhã, 29 de março. O evento, organizado pela CTB Bahia, reuniu representantes de diversos sindicatos e entidades do movimento social na Praça da Piedade, no Centro, para debater os problemas enfrentados pela população e apontar os caminhos para mudar a situação.

 

A comemoração realizada pela CTB já é uma tradição para o povo de Salvador. Desde a sua fundação, há 6 anos, a Central sempre fez questão de celebrar a data com um bolo recheado de muito protesto. “Este ano, nós realizamos uma audiência em praça pública, onde pudemos discorrer sobre a história da cidade e seus problemas sociais, mas também apontamos os rumos para vencer o desafio do desenvolvimento sustentável. Mostramos também que os trabalhadores têm muito a contribuir com o este debate”, apontou Aurino Pedreira, presidente da CTB Bahia.

Pedreira ressaltou também, que a data é um excelente momento para discutir a falta de uma política de desenvolvimento econômico voltada para a geração de emprego e renda em Salvador. “Nós que conhecemos outras regiões metropolitanas, percebemos como estas regiões costumam gerar desenvolvimento para todo o estado. No entanto, em Salvador não observamos isto, pois não temos um parque industrial e sim, uma economia voltada para o comercio e os serviços. Isto não é bom para a população, pois a falta de emprego acentua a desigualdade”.

Cidade desigual

A desigualdade social foi o principal foco da intervenção do professor de história e secretário de Articulação Interinstitucional da Universidade Estadual da Bahia, Ricardo Moreno. Para ele, a cidade já nasceu desigual, com a vinda dos negros escravizados da África, e esta desigualdade se perpetuou ao longo do tempo, estando ainda visível mesmo mais de um século após a abolição formal da escravidão. “Continuamos vivendo em uma cidade que nega direitos básicos a grande parte da população em benefício de uns poucos. Isso porque muda a Lei, mas as práticas cotidianas não mudam. Por lei acabou a escravidão, mas a mentalidade de parte da população ainda não se transformou totalmente. É como se a escravidão ainda estivesse presente”, acrescentou o professor.

O debate contou também com exposições sobre a questão do transporte, mobilidade urbana, a geração de emprego, além da defesa dos direitos das mulheres e da juventude. Ao final do evento, os participantes cantaram parabéns para a cidade e pelo menos na festa da CTB, o bolo foi repartido igualmente para todos os presentes. 


  whatsapp  

Últimas notícias de CTB Regional Metropolitana

Ato do 1º de Maio reúne multidão em Camaçari

Geral - CTB Regional Metropolitana Postada 05 de Maio de 2015

1º de maio unificado leva mais de 6 mil trabalhadores às ruas de Camaçari

Geral - CTB Regional Metropolitana Postada 03 de Maio de 2014

Protesto de trabalhadores marca Dia Mundial da Saúde na Bahia

Geral - CTB Regional Metropolitana Postada 07 de Abril de 2014

Trabalhadores da construção conquistam 8% de reajuste e encerram greve

Geral - CTB Regional Metropolitana Postada 07 de Abril de 2014

Trabalhadores da construção civil continuam em greve

Geral - CTB Regional Metropolitana Postada 04 de Abril de 2014
Ver todas as Notícias de CTB Regional Metropolitana

Enquete

Qual a pior proposta do Temer?


Resultado

Charges

Temer acelera desmonte dos bancos públicos Postada 11 de Outubro de 2017 Charge do Sindicato dos Bancrios de So Paulo Ver todas as charges

Facebook



Rua Democrata,18, 1º andar, Dois de Julho - Salvador -Bahia. CEP. 40060-107.
© Copyright CtbBahia - Todos os direitos reservados - imprensa@ctbbahia.org.br
Tel (71) 3012-5390