Trabalhadores em educação ocupam câmara Municipal e mantêm greve

Trabalhadores em educação ocupam câmara Municipal e mantêm greve

Geral CTB Geral 12/03/2019 há 2 meses

Os trabalhadores em educação da Rede Municipal de Ensino de Feira de Santana, que decretaram greve por tempo indeterminado a partir dessa segunda, 11, ocupou a Câmara Municipal Vereadores para buscar apoio dos vereadores a pauta de reivindicações da categoria que consiste na Reformulação do Plano de Carreira Unificado, o aumento da Função Gratificada (FG) dos diretores que hoje está no valor de R$ 176 reais; a reabertura das negociações sobre os Precatórios do FUNDEF, sendo 60% direito dos trabalhadores em educação e sobre a Alteração de Carga Horária de todos os professores que solicitaram e estão em conformidade com a Lei, o reajuste do piso salarial de 2019, no percentual de 4,17%,  além de buscar discutir melhorias na estrutura e condições das Escolas da rede.

Durante a sessão, a vereadora Eremita Motta, que atualmente é presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, entrou em contato com o prefeito Colbert Martins Filho, que se disponibilizou a atender uma comissão formada pela diretoria da APLB Feira, representantes de professores, diretores e funcionários, além dos vereadores da comissão de Educação da Câmara Municipal Eremita Motta, Zé Filé, João Bililiu e o vereador Cadmiel Pereira que acompanhou a audiência. A reunião foi realizada ainda durante a manhã, na Prefeitura Municipal, onde foram discutidos os pontos de pauta. A direção da entidade e os representantes da categoria expuseram todas as questões e o Prefeito tomou nota das discussões. O Prefeito então afirmou que sobre o reajuste do piso salarial de 4,17%, será enviado o Projeto de Lei para a Câmara Municipal, que a Alteração de Carga Horária dos professores de 2016/2017 que solicitaram e estão em conformidade com a lei, será publicada, e que os de 2018 estão em processo para publicação; sobre a Reserva de carga horária o Prefeito informou que irá discutir com a Secretária de Educação de forma a solucionar a questão; sobre os Precatórios do FUNDEF o Prefeito disse que não irá discutir a questão enquanto não tiver um parecer da Justiça; sobre o 5% da Regência de Classe do ensino fundamental II o Prefeito informou que será pago mas não informou a data; e a Reformulação do Plano de Carreira Unificado, o Prefeito do Município solicitou que aguardássemos até sexta-feira, 15, para reunir a comissão e discutir os impactos orçamentários do Plano que foi construído em 2016.

Após a audiência com o prefeito Colbert Martins Filho, uma nova assembleia da categoria foi realizada na galeria da Câmara Municipal, onde foram discutidos os pontos da audiência e votado pelos trabalhadores em educação pela manutenção da greve da rede. Os trabalhadores em educação da Rede Municipal precisam que as reinvindicações sejam cumpridas e garantidas, para que a greve seja encerrada, já que o Prefeito  havia solicitado prazo de 15 dias para resposta da pauta, em 27 de novembro de 2018 e não o cumpriu, o que abalou a confiança dos trabalhadores em educação no Governo do Município. A categoria construiu uma agenda de mobilização para esta semana, e na próxima sexta-feira, 15, fará uma nova Assembleia, às 14h no Espaço Kilogrill. Aguardamos a reposta do Governo Municipal ainda em greve e esperamos que as reivindicações da categoria sejam atendidas.

Ascom APLB Feira