8 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DA MULHER

8 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Geral CTB Geral 07/03/2019 há 2 meses

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a CTB Bahia vem prestar suas homenagens a todas as mulheres brasileiras trabalhadoras.  Este ano a CTB, os movimentos de mulheres e sindicatos irão às ruas da capital de todo o país em defesa da democracia, dos direitos, contra a reforma da Previdência e o feminicídio. 

O Brasil assume o quinto lugar no mundo de países que mais matam mulheres, segunda a Organização Mundial da Saúde, o número de assassinatos no país chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres. Na Bahia, no último ano, esse número aumentou 6%, tendo as mulheres negras como principal alvo, apontando o cenário fascista, político, econômico e social que atinge com força maior, as mulheres.

“Nós estamos em um país com um presidente que propaga o ódio contra as mulheres, para isso as lutas das mulheres e dos movimentos sociais de defesa de violência contra as mulheres têm sido intensas e fundamentais para que casos desta natureza sejam denunciados, não podemos deixar que esses números cresçam ainda mais”, ressalta Marilene Betros, Secretária da Mulher Trabalhadora CTB Bahia.

Além da violência, a vice-presidente da CTB Bahia, Rosa de Souza lembra que os direitos dos trabalhadores também estão sendo atacados pelo atual governo, e com a reforma da Previdência as mulheres serão as mais afetadas. “Essa reforma vai afetar profundamente toda a classe trabalhadora, mas as mulheres serão ainda mais prejudicadas com aumento da idade mínima e do tempo de contribuição, ele considera que nós mulheres vivemos mais do que os homens, mas não considera que as mulheres têm duplas e triplas jornadas”.

 

ORIGEM

 

Em 1903, profissionais liberais norte-americanas criaram a Women´s Trade Union League. Esta associação tinha como principal objetivo ajudar todas as trabalhadoras a exigirem melhores condições de trabalho.

Em 1908, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque: reivindicaram o mesmo que as operárias no ano de 1857, bem como o direito de voto. Caminhavam com o slogan “Pão e Rosas”, em que o pão simbolizava a estabilidade econômica e as rosas uma melhor qualidade de vida.

Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 08 de Março como Dia Internacional da Mulher.

O dia 08 de Março é, desde 1975, comemorado pelas Nações Unidas como Dia Internacional da Mulher. No dia 08 de março de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de horário de mais de 16 horas, por dia, para 10 horas. Estas operárias, que recebiam menos de um terço do salário em comparação aos salários pagos aos homens, foram fechadas na fábrica onde foi provocado um incêndio. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

No Brasil, o dia é amplamente divulgado também através da “Marcha das Margaridas”, estratégia política construída pelas mulheres trabalhadoras rurais para combater a fome, a pobreza e a violência sexista. Margarida Alves foi brutalmente assassinada pelos usineiros da Paraíba, em 12 de agosto de 1983 e tornou-se um grande símbolo da luta das mulheres por terra, trabalho, igualdade, justiça e dignidade.

 

IMPORTÂNCIA

Entendemos que, na verdade, a mulher não precisa de um dia específico. O seu dia são todos os dias, pois são atuantes, guerreiras e batalhadoras em seu cotidiano. Cumpre várias jornadas diárias, desdobrando-se no papel de trabalhadora, mãe, esposa, filha e amiga sem descanso e, muitas vezes, sem o reconhecimento de seus esforços para dar conta de tantas tarefas.

O dia 08 de março deve ser lembrado e discutido como um marco, um basta à sociedade machista que discrimina e marginaliza a mulher dificultando seu acesso à educação, sua participação na política, em cargos de liderança nas empresas, sociedade que a considera como um ser inferior ou propriedade de homens que para fazer valer seu machismo, no auge da ignorância assedia, bate, estupra e até mata em nome de um amor doentio e perverso.

Sabemos que no dia-a-dia a luta por igualdade de gênero em todos os âmbitos é árdua, mas, ainda assim o tempo tem mostrado que temos avançado. Não obstante tantos entraves e perversidades, as mulheres estão cada vez mais conquistando o seu espaço e o seu lugar na sociedade. São incansáveis e jamais fogem à luta. Tudo que querem é ser respeitadas.