Direitos Já instala Conselho Político e prepara atos contra Bolsonaro

Direitos Já instala Conselho Político e prepara atos contra Bolsonaro
Líderes partidários se articulam em defesa da democracia e dos direitos l Foto: Fernando Guimarães

Geral CTB Geral 12/02/2020 há 1 mês

Criado com o objetivo de ser uma frente suprapartidária de oposição ao governo Jair Bolsonaro, o movimento Direitos Já! Fórum da Democracia instalou nesta segunda-feira (11), seu Conselho Político com representantes de 14 partidos políticos. Na ocasião foi feita uma análise da atual conjuntura política e as convergências e ações para garantia da democracia e dos direitos fundamentais.

A defesa da democracia é o fator de maior unidade entre os integrantes do movimento. Para os participantes da reunião, mesmo que o ambiente democrático prevaleça na atual conjuntura, não está descartada uma viragem autoritária patrocinada pelo próprio Bolsonaro, ainda mais se o presidente conseguir se reeleger em 2022.

A articulação frentista decidiu promover atos de protesto contra ações do governo que atentem contra a democracia e os direitos fundamentais. O primeiro evento será em São Luís, no Maranhão, no dia 30 de março, véspera do aniversário do golpe militar de 1964. O ato terá como tema educação e o principal alvo será a conduta desastrada do ministro Abraham Weintraub que tem provocado danos irreparáveis. O evento conta com o apoio do Flávio Dino (PCdoB), que tem se destacado na defesa da formação de uma ampla frente para se contrapor ao governo Bolsonaro .“O ato é em defesa da educação. É inaceitável que a condução da área fique nas mãos de um ministro da ideologia”, disse Fernando Guimarães, um dos coordenadores do movimento e que conduziu a reunião.

Presente à reunião, o vice-presidente do PCdoB, Walter Sorrentino, defendeu o esforço de convergência democrática e saudou a constituição do Conselho Político. A pedido do governador Flávio Dino convidou a todos para que a próxima reunião seja realizada em São Luis, no Palácio dos Leões, sede do governo estadual, na mesma data do Ato convocado pelo Movimento Direitos Já.

Estiveram presentes lideranças de 14 partidos: além do vice-presidente Nacional Walter Sorrentino, o PCdoB também foi representado pelo Secretário Estadual de Relações Institucionais da direção estadual, Rodrigo Carvalho (SP); o vereador Eduardo Suplicy (SP), e o ex-vereador Nabil Bonduk (SP), do PT; o presidente municipal Antonio Neto (SP) e o membro da executiva municipal Ricardo Pisani (SP), do PDT; o presidente municipal e vereador do PSB, Eliseu Gabriel (SP); o presidente municipal Carlos Fernandes (SP) e a vereadora Soninha Francine (SP), do Cidadania; o presidente nacional José Luiz Penna (SP) e o ex-presidenciável Eduardo Jorge (SP), do PV; o porta-voz nacional Pedro Ivo (DF) e a porta-voz municipal Duda Alcântara (SP), da Rede Sustentabilidade; o ex-deputado estadual Ramalho da Construção (SP), do Solidariedade; o senador suplente José Aníbal (SP) e o ex-ministro Clóvis Carvalho (SP), ambos do PSDB; o senador Armando Monteiro (PE), do PTB; o deputado federal Raul Henry (PE), do MDB; o diretor nacional da Fundação Podemos, Ricardo Calciolari (SP); o membro da executiva nacional do PSD, Ricardo Patah (SP); o deputado federal Vinícius Poit (SP) e a suplente de deputada estadual Mônica Rosenberg (SP), ambos do Novo. O encontro contou também com a participação do ex-governador Paulo Hartung (ES), sem partido.

Na reunião de lançamento do movimento, em maio do ano passado, estiveram presentes cerca de 40 lideranças políticas, incluindo o ex-ministro Aloizio Mercadante (PT), o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) e o ex-ministro da Justiça José Gregori (PSDB), o deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP). A ex-prefeita e ex-ministro Marta Suplicy (sem partido) aderiu mais tarde ao grupo para, segundo ela, ajudar a formar uma frente ampla de centro-esquerda.

 

Via Portal Vermelho